Avançar para o conteúdo principal

nostalgia

Dirigi-me recentemente a uma livraria independente e deparei-me com isto:


Por onde começar?

Estes livros acompanharam-me durante grande, enorme parte da minha infância. Lembro-me de estar na primária e ler um por dia. Creio que deixei de seguir a série por volta do meu 5º ano, mas não me lembro exactamente onde; segundo a lista dos livros publicados, que encontrei na Wikipedia, o meu último livro da série terá sido um destes dois:

39. Uma Aventura na Televisão (PNL) (1.ª edição, 1998; 3.ª edição, 2004)
40. Uma Aventura no Egipto (PNL) (1.ª edição, 1999; 3.ª edição, 2004)

Sendo que me lembro efectivamente de ter lido o primeiro, mas não o segundo (cuja capa está, no entanto, muito viva na minha memória). Infelizmente, já não tenho os livros em minha posse (foram dados), ou quão incrível seria relê-los agora?

Tenho muitas memórias destes livros, e são memórias que me têm surgido bastante nos últimos tempos. Por exemplo, ao ter ido recentemente ao Palácio da Pena, lembrei-me do livro que se passa lá (Uma Aventura no Palácio da Pena, é claro), que era dos meus favoritos. Ao saber de uma obra de ficção relativamente recente sobre Diogo Alves, o assassino do aqueduto, a minha primeira memória foi que sabia da história porque li Uma Aventura em Lisboa (que também era incrível, ainda hoje me gostava de esconder na Torre de Belém à noite). Recordei recentemente com o meu amor o livro (ou vá, o episódio, que nunca vi, mas que foi a referência inicial, na verdade) no qual havia diamantes escondidos em pastas de dentes (Uma Aventura no Supermercado). Lembro-me de achar alguns aborrecidos, um na praia e um sobre futebol que me lembro perfeitamente de ter capa branca, lembro-me de ter adorado um em que iam para uma aldeia e encontravam um tesouro, lembro-me que eles viajavam imenso em conjunto para imensos países apesar das suas idades, haja dinheiro e boa vontade por parte dos pais, lembro-me de comerem Dom Rodrigos no Algarve e eu ainda hoje não sei no que consistem ao certo (só conheço os bolos de massapão), lembro-me de querer um cão chamado Faial, lembro-me de imensas histórias e de não me lembrar do nome de quase nenhum dos livros.

Temo também que alguma destas memórias seja na verdade d'Os Cinco, ou do Triângulo Jota, que os li todos (ou quase, no caso dos últimos).

Resultado: adorava poder reler aquilo tudo, ler os mais de dez que foram lançados desde a última vez que peguei num na livraria do Jumbo de Alfragide, 

Quero ver a série, que nunca vi (e já devo ir tarde).

E adorava saber se mais algum livro está traduzido para inglês*.


* E se não estiverem, e a editora estiver interessada, ofereço os meus serviços de tradução! Just saying.

Comentários

  1. Ai meu deus, que post tão nostálgico! Tanta coisa para dizer!

    1. Essas memórias todas são d'Uma Aventura confirmo!
    2. E se quiseres empresto-te a coleção toda, tenho lá em Mafra no sótão dos meus pais!!
    3. Eu tive um cão chamado Faial, o amor da minha infância/adolescência, um pastor-alemão, tal e qual como nos livros e tudo por causa deles. :')
    4. Por favor não vejas a série, a sério, poupa-te ao masoquismo que é ver uma produção horrivelmente realizada, com diálogos super lame, representações que metem dó, um Chico que é o estereótipo de um engatatão de meia-tijela, e cenários muito, muito pobrezinhos.
    5. Um dos livros mais recentes (todos os depois do nº 40 são para mim recentes) é passado na Tapada de Mafra x)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahhhh que giro :D

      Fico feliz de saber que não estou a misturar as memórias dos Dom Rodrigos com as sandes de alface comidas n'Os Cinco :p e awww pastor alemão! Só tens cães fofos!
      Já pensaste em reler? :p e tens curiosidade com esse da Tapada de Mafra?
      Ui... quase tenho curiosidade com a série, para ver o quão mau é mesmo!

      Eliminar
    2. Aposto que deve haver episódios no Youtube, se quiseres mesmo sujeitar-te a isso... Não quero reler, não, não quero estragar a boa aura que aqueles livros têm nas memórias da minha infância. Hoje tenho a certeza que me pareceriam demasiado inverosímeis e quiçá até ridículos, não preciso disso. O da Tapada foi um dos últimos que li, chama-se Uma Aventura Secreta e mete coisas meio estranhas à volta de telepatias e lobos.

      Eliminar
    3. Haha confirmo que há, fui googlar esse (uau, telepatias e lobos!) e o primeiro resultado é episódio no youtube!
      Percebo, mas não sei... livros como Harry Potter (que, como sabes, nunca li) e Lord of the Rings etc também são inverosímeis, acho que é um pouco questão de saber "como" ler as coisas? Não vais ler obras de fantasia da mesma maneira que vais ler um livro de non-fiction, por exemplo, ou arruína-te a experiência! E aqui, é saber que estás a ler livros para crianças... acho.

      Eliminar
    4. Ah, mas um livro de fantasia pode ser completamente verosímil, porque a forma como a história se desenrola e a maneira como as personagens se comportam é plausível com as regras do mundo que foi criado. Já um livro com uma história passada no mundo real pode ser inverosímil se, como dizes, houver um grupo de crianças que vão passar férias sozinhas a sítios no estrangeiro (ricalhaços, pá), forem sistematicamente mais espertas que todo o tipo de polícias a apanhar ladrões e outros criminosos, e não haver um contexto mais alargado para essas aventuras (e a reação dos pais? E as consequências de um livro para o outro do que fizeram? E traumas nas crianças pelo que passaram? E porque é que não envelhecem???). Tens de saber desligar isso, mas não sei se consigo, porque este tipo de explicações são para mim mais importantes do que entender que existe uma comunidade escondida de pessoas capazes de fazer magia com varinhas, ou que existem espécies como dragões, hobbits ou elfos no mundo.

      Eliminar
    5. ok, isso é perfeitamente legítimo sim e percebo a separação do "tipo de inverosímil"! nesse aspecto, destaco que os putos do Triângulo Jota tinham uns 12 anos no primeiro livro e uns 19 nos últimos que li, referenciavam eventos passados em livros futuros, etc, a polícia estava frequentemente envolvida... mas acho que muita da "magia" de livros para crianças é que eles não crescem. acho que Os Cinco também nunca cresceram. acho também que muitos dos livros são para ler como "stand-alone"... tipo Simpsons, sabes? 30 anos depois continua o mesmo, porque podes pegar em qualquer episódio e a magia está lá!

      Eliminar
    6. O meu problema é que acho que já não sou cativada por esse tipo de magia... É por isso que prefiro deixá-los estar lá sossegadinhos na memória :)

      Eliminar
  2. Era épico se traduzisses os livros :p

    ResponderEliminar
  3. Olá Bárbara,
    Que giro! Este ainda não li este, mas sinto muito nostalgi em relação a este livros e a estas autoras. Um dia gostaria de ter a colecção completa e os ler todos!
    Vamos ver...
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Isaura, também nunca li este, mas a nostalgia está lá na mesma :) Quiçá um dia cheguemos lá as duas!
      Beijinhos, boas leituras!

      Eliminar

Enviar um comentário