Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2019

Thérèse Raquin

Adoro literatura francesa.

(Tenho uma relação amor-ódio no que respeita a ler em francês)
Thérèse Raquin foi a minha estreia com Émile Zola, por ter demasiado receio com a saga de Les Rougon-Macquart: quero imenso ler o livro dos mineiros, mas a linguagem mineira deve ser horrível. Também quero imenso ler o da prostituta, e o dos supermercados... respectivamente, os livros 13, 9 e 11 da saga, que tem uns modestos 20 livros, mas consta que se devem ler numa ordem diferente da ordem de publicação, pelo que seriam o 16, 17 e 8. E aparentemente, devo ler primeiro La Fortune des Rougon.
Portanto, comecei com Thérèse, anterior à gigantesca obra Les Rougon-Macquart. É um livro repleto de sentimentos fortes, violência, crime e tragédia. Thérèse nasceu no Norte de África, filha de uma mulher nativa e de um soldado francês. Com a morte da mulher, o pai de Thérèse decide levar a criança à sua irmã, em Vernon, cidade à qual já tive oportunidade de ir (ver fotos), para ser criada pela sua tia viúv…

O Velho que Lê

Um regresso a Dylan Dog.


O Velho que Lê é o primeiro volume da Colecção Aleph, lançada em Março pela G Floy, com o intuito de se dedicar à banda desenhada europeia (sendo que a maioria do catálogo da editora é de origem norte-americana). Ressalve-se, a Aleph passou muito recentemente para uma nova editora, A Seita, que lança Trevas Profundas, da autoria de Dario Argento, como terceiro volume, da colecção e de Dylan Dog.

A narrativa tem início com o desaparecimento misterioso de um velho que passava todo o seu tempo a ler. Sendo Dylan Dog o detective dos pesadelos, rapidamente nos encontramos num mundo de pesadelos, sonhos, fantasmas do passado, entre o amor à literatura e os problemas da solidão que, frequentemente, vem com a velhice, repleto de referências literárias clássicas.
A arte de Celoni reflecte precisamente o ambiente de sonho, de irreal, que a narrativa transmite, com pormenores, expressividade e detalhes magníficos.

Há ainda uma short story a complementar o volume: A Peque…

Treine o seu Gato

Este livro caiu-me nas mãos aquando de um plano de adopção.

Enquanto esse gato específico não virá residir comigo, já há uma outra gatinha planeada, muito desejada, e o livro tem, na mesma, relevância na minha estante.
O livro é bastante interessante, começando logo pelos primeiros capítulos, em que narra a história da domesticação dos gatos. John Bradshaw fornece informação científica sobre gatos e a sua história, e Sarah Ellis foca mais em exercícios para treinar os gatos. A forma como a informação se interliga está bastante bem feita, cruzando informação com actividades práticas.
Vir quando é chamado, permitir corte de unhas, tomar medicação, ir sem problemas para a transportadora, são algumas das situações para as quais este livro procura criar ferramentas. Alguns pontos são, talvez, demasiado intensos para o leitor (dependendo do seu nível de paciência); alguns dos treinos têm demasiados passos (como os cerca de vinte passos relacionados com a entrada na transportadora), ao pass…

rentrée literária 2019

Porque Setembro é um mês de novos começos, eu também estou em fase de grandes mudanças pessoais e, bem, apeteceu-me.

Ou seja: lançamentos recentes ou recentemente anunciados para o resto do ano, com os quais estou particularmente curiosa e nos quais quererei, mais cedo ou mais tarde, pegar (que é como quem diz: olá, Feira do Livro 2021).


Jorge Amado: Uma Biografia, de Joselia Aguiar.
Enquanto pessoa que adora Jorge Amado, esta é uma oportunidade para conhecer melhor o autor que não quererei deixar passar. Cheguei a folhear este na Ler Devagar, mas o preço avultado faz-me deixá-lo para uma segunda oportunidade. Podem comprar aqui.
Hotel Melancólico, de Maria Gaínza.
Depois de ter adorado O Nervo Ótico, é normal que esteja ansiosa por mais um livro desta autora, mais uma vez uma obra que mistura a realidade com a ficção. E, pela sinopse, também este livro é centrado em arte. Podem comprar aqui.
Obras Completas de Maria Judite de Carvalho, vol. V.
Pré-comprado, claro, sem qualquer hesitaçã…

Indeh

A história das Guerras Apache, de um ponto de vista Apache.

É refrescante ver os eventos do lado Apache. Com belas ilustrações a preto e branco, vemos aqui o tremendo choque entre duas culturas: os Apache, que dominam aquela terra há séculos, e a nova "tribo", dos homens brancos, que começa a infiltrar-se no território. Os Apache começam a ser afastados, e decidem retaliar.
Excelente como ficção histórica, dá-nos um contexto emocional para eventos que, muitas vezes, nos são apresentados de forma fria. Os últimos anos dos conflitos entre europeus e Apache não são bonitos, e a narrativa através não só de um ponto de vista negligenciado, mas através de arte sequencial, dá uma nova perspectiva.
O conflito entre nativos norte-americanos e os colonizadores europeus é devastador, e tem sequelas graves e visíveis até hoje. Pessoalmente, sei muito pouco sobre os modos de vida das sociedades nativas norte-americanas previamente a estas guerras e ao domínio europeu, mas, ainda assim, …

2019 | Agosto

Agosto foi, novamente, um mês muito complicado.


Comprados & Recebidos
Este mês, portei-me um pouco pior: numa mega promoção da Book Depository, comprei, por menos de 10 Euros, We, de Yevgeny Zamyatin, e The Long Goodbye, de Raymond Chandler. Em minha defesa, estavam ambos há imenso tempo (mais de dez anos!) em espera. No último dia do mês, na Festa do Livro de Belém, comprei Karingana Ua Karingana, de José Craveirinho, que queria há muito, mas parecia esgotado em todo o lado.
E a Rita ofereceu-me o Mostly Harmless, do Douglas Adams, o que significa que preciso de ler o Hitchhiker's ainda este ano.

Lidos
Com muita dedicação à bricolage e a novos rumos na minha vida, consegui apenas terminar Girl in a Band, de Kim Gordon, e Como Treinar o seu Gato. Em andamento, Thérèse Raquin, de Emile Zola, e A Piada Infinita, de David Foster Wallace (demasiado pesado para levar na mala).

Outros
Senti a falta da Europa-América na Festa do Livro de Belém - era lá que costumava abastecer de Jorge A…