Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Fora da Estante S02 E01

O primeiro episódio da segunda temporada, assim denominada não só pelo hiato de ano e meio, mas pelo novo molde. Podem comprar aqui os livros mencionados: A Caminho de Jesus Cristo, de Joseph Ratzinger | indisponível em  português The Don Rosa Library, Vol. 1 - Son of the Sun, de Don Rosa The Evenings, de Gerard Reve The Crimson Petal and the White, de Michel Faber | disponível em  inglês Dracula, de Bram Stoker | disponível em  português  | disponível em  inglês The It-Doesn't-Matter Suit and Other Stories, de Sylvia Plath | disponível em  português  | disponível em  inglês A Casa Golden, de Salman Rushdie | disponível em  português A Confederacy of Dunces, de John Kennedy Toole | indisponível em  português  | disponível em  inglês Ele e o Outro, de Herman Hesse | disponível em  português Disponível no  Spotify  na  Apple  e  noutras plataformas . O próximo será, como o ouvinte atento saberá, no primeiro Sábado de Março.
Mensagens recentes

Pretty Soldier Sailor Moon, vols. #6 #7 e #8

Ora aqui está um publicação na qual faz todo o sentido juntar estes três livros, não só porque são da mesma série, mas porque compõem o mesmo arc  - o Infinity Arc. (se bem que no último livro começa o Dream arc, o que inspira aqueles filmes que a Netflix lançou há pouco mais de um ano, mas lá chegaremos). Tentarei assim fazer uma opinião sobre o Infinity arc, incluído nos vols 6, 7 e 8 de Pretty Soldier Sailor Moon , de Naoko Takeuchi, tentando dividir por volume e entrando um pouco no arc  seguinte, do qual li apenas o que se encontra no vol. 8. No vol. 6, continuamos a acompanhar Chibi Usa no seu treino para ser uma sailor senshi , enquanto as outras sailors  investigam uma escola de prestígio, apenas para a elite: Mugen Academy, construída num terreno com uma intersecção triangular bizarra, na qual obviamente coisas ainda mais bizarras acontecem. Elas estão constantemente a encontrar-se com duas alunas da Mugen Academy, uma piloto de carros de corrida, Haruka (que não se identifica

2023 | Janeiro

Vamos, a pouco e pouco, recuperando ritmo neste blog. Comprados & Recebidos Todos os anos faço a mim mesma votos e promessas que é desta que me irei dedicar a melhorar os meus conhecimentos em determinada língua. Isto leva a que tenha vários livros em francês, espanhol e até italiano que vou adquirindo, acumulando e nos quais tenho receio até de tocar. Desta feita, decidi comprar a série completa (vejam lá o meu entusiasmo!) La Passe-miroir , de Christelle Dabos. O site onde adquiri coloca estes livros na categoria dos 10-12 anos, pelo que, apesar das cerca de 600 páginas de cada um dos quatro volumes, julgo conseguir estar à altura (e que talvez seja esta a alavanca para consolidar as minhas fracas capacidades linguísticas). Fora isso - o meu respectivo ofereceu-me um manga de volume único, She and her cat , de Makoto Shinkai e Tsubasa Yamaguchi, que ainda não li (aguardando o dia de colinho perfeito com a Mimi para esse efeito), e recebi, da editora, A Árvore da Dança , de Kiran

Alias Grace

  Alias Grace  era um livro que eu queria há muito ler, e foi a minha terceira leitura de Margaret Atwood (segunda de prosa). A ideia de reinventar, reescrever um homicídio mediático pareceu-me uma abordagem interessante à ficção histórica ( género que tenho vindo a reavaliar ultimamente ), sendo aqui a visada Grace Marks, irlandesa emigrada no Canadá, apenas adolescente quando acusada do homicídio do seu patrão, Thomas Kinnear, e da sua outra empregada, Nancy Montgomery, em 1843, condenada à pena de morte, posteriormente prisão perpétua, tendo sido perdoada cerca de três décadas mais tarde. Margaret Atwood dá uma vida, uma voz e até um destino a esta mulher (de quem nada se sabe após ter saído da prisão). Grace Marks foi acusada juntamente com James McDermott, também empregado de Thomas Kinnear. Tentaram fugir, juntos, e juntos foram presos. McDermott foi enforcado pelo crime. (...) and since that time I have thought, why is it that women have chosen to sew such flags, and then to lay

2022 | Novembro e Dezembro

Talvez ainda se justifique? Comprados & Recebidos Em Novembro, comprei o terceiro volume de O Castelo dos Animais , de Delep e Dorison, o qual li de imediato e irei escrever opinião quando achar que consigo fazer-lhe justiça. Também comprei e li de imediato o vol. 4 de Gideon Falls , série que tinha deixado a meio e que quero muito completar. Da Bertrand recebi, em Dezembro, o maravilhoso O coelho um pouco valente , de Nicola Kinnear (também já lido), e pelo Natal recebi Stray Dogs , de Tony Fleecs (lido), e os primeiros dois volumes da The Don Rosa Library (a ler actualmente o primeiro). Adorava conseguir ler sempre logo todos os livros que compro ou recebo, mas aqui estamos. Lidos As leituras nestes dois meses foram irregulares e erráticas. Arrastei Housebreaking , de Colleen Hubbard, e  Hangsaman  até Novembro (o livro que menos gostei de Shirley Jackson até agora - mas falarei disso a seu tempo), li Assembly , do qual já falei , e depois basicamente arrastei Hamnet  até ao Nata

A Árvore dos Desejos

Quando vi este livro na banca da Ponto de Fuga, na Feira do Livro, não consegui resistir: não só se trata de William Faulkner (num registo no qual nunca o tinha lido), como um livro infantil, ilustrado (por Don Bolognese). Rapidamente percebi por que motivo não esperava encontrar um livro infantil de Faulkner: este foi o único que o autor escreveu, escrito especialmente como prenda para a filha de oito anos de uma amiga, em 1927. A intenção por trás desta obra nunca foi a sua publicação, que só aconteceu postumamente. - Desce, Dulcie. Desce, Dulcie. - Mas que coisa tão estranha! - surpreendeu-se ela, e olhou para o rapaz ruivo, que remexia, atarefado, na sua pequena sacola. - É porque fazes anos - explicou ele. - Mas nunca aconteceu nada assim no meu dia de anos. Em A Árvore dos Desejos , Dulcie acorda no seu aniversário - uma manhã que deveria ser como outra qualquer - e descobre um rapaz ruivo misterioso, Maurice, no seu quarto. Rapidamente, Dulcie encontra-se com o rapaz, o seu irmã