Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2021

fora da estante #15

O décimo-quinto episódio! Podem comprar aqui os livros mencionados: O Monte dos Vendavais, Emily Brontë | disponível em  português  | disponível em  inglês Lolita, Vladimir Nabokov | disponível em  português  | disponível em  inglês Sapiens, Yuval Noah Harari | disponível em  português  | disponível em  inglês A Sul da Fronteira, a Oeste do Sol, Haruki Murakami | disponível em  português Kill Creek, Scott Thomas | disponível em  português Novamente: disponível no  Spotify  na  Apple  e  noutras plataformas . O próximo será daqui a duas semanas.

Coração de Vidro

 A vontade de reler e regressar a José Mauro de Vasconcelos era muita. E, antes de reler Meu Pé de Laranja Lima  (releitura que quero mesmo fazer - li o livro repetidamente no início dos anos 2000 e quero muito ver como a história se aguenta face ao meu envelhecimento) ou pegar na edição antiga que herdei de Rosinha minha canoa , calhou ler esta nova edição de Coração de Vidro  (por ser muito mais curta e eu estar à procura de uma pequena pausa na minha leitura de não-ficção actual). Não sabia o tema da obra, sabia apenas tratar-se de contos. É um belo conjunto de quatro pequenos contos sobre seres vivos não humanos - um pássaro, um peixe, um cavalo, uma árvore - cujas histórias têm como factores comuns o espaço físico em que decorrem, numa fazenda, e o papel da intervenção humana nas suas vidas. Baixou os olhos. Não chorou nem explicou mais nada. Que tristeza (agora começava a descobrir) as pessoas terem de crescer e perder o coração... Que tristeza dolorida as pessoas grandes não pod

Liza of Lambeth

O mote do #lerosclássicos2021 para Fevereiro era o simples "ler um clássico europeu". Pensei fugir ao cânone anglófono, mas decidi conjugar com o #médicosesritores do João Barradas . Isso e aproveitar esta foto de 2019 (tirada no De Drie Graefjes ao pé da De Nieuwe Kerk em Amsterdão ; o livro foi comprado por 3€ na New English Bookstore no mesmo dia). De Somerset Maugham, já tinha lido, há alguns anos, o magnum opus: Of Human Bondage . Ou seja, entrei naquele ciclo em que comecei pela melhor obra do autor e, depois, nada será comparável. Liza of Lambeth  é a primeira obra do autor, o que poderá não ajudar. Foi escrita quando o autor era ainda estudante de medicina, e fez algo que se poderá chamar de estágio de obstetrícia no Hospital St. Thomas em Lambeth, uma zona mais pobre da cidade. Esta edição inclui um prefácio do autor, no qual fala do seu processo de escrita e o contexto de Liza  e a vida de Londres à data em que fora escrito. Final do séc. XIX. A nossa protagonista

Apneia

Vi toda a gente ler este livro cerca do final do Verão passado e, confesso, isso costuma demover-me de uma leitura. Esta foi, no entanto, a obra sobre a qual caiu a escolha de um clube de leitura feminista ao qual me juntei e no qual quero participar. E foi assim que Apneia , de Tânia Ganho, obteve lugar na minha estante e foi lido com alguma prioridade. Tendo sido uma obra muito lida e divulgada, creio que a temática não será desconhecida da maioria: a protagonista, Adriana, passa por um longo e penoso divórcio. O seu marido, Alessandro, empresário de nacionalidade italiana, era emocionalmente abusivo e o retrato perfeito de psicopata manipulativo. Assim, pouco depois de terem construído a sua casa de sonho, Adriana decide pôr um ponto final no casamento - mas não é só a ela que esta decisão afecta. Ambos têm um filho pequeno, Edoardo. A leitura tornou-se interessante, em particular, porque o meu respectivo trabalhou bastante com Direito da Família e tinha-me dado, ao longo dos último

fora da estante #14

O décimo-quarto episódio! Podem comprar aqui os livros mencionados: Crónica do Rei Poeta Al-Mu'tamid, Ana Cristina Silva | disponível em  português Viagem por África, Paul Theroux | disponível em  português   Rakushisha, Adriana Lisboa | actualmente esgotado     Quarto de Despejo, Carolina Maria de Jesus | disponível em  português Peregrinação de Enmanuel Jhesus, Pedro Rosa Mendes | disponível em  português   Novamente: disponível no  Spotify  na  Apple  e  noutras plataformas . O próximo será daqui a duas semanas.

O Nome da Rosa

Precisei de domir muito sobre este livro para elaborar uma review  - e, ainda assim, sei que não farei jus à obra. A narrativa (construída a partir de um suposto manuscrito - ou seja, um livro sobre um livro fictício, num primeiro momento de homenagem a Borges ) decorre no atribulado ano de 1327, especialmente atribulado se tivermos em conta que o enredo se passa num mosteiro: clivagem da igreja, um Papa em Avignon (nota: há três anos e pouco, num jantar de Natal, conheci uma pessoa de Avignon, de cujo nome não me recordo. Quando ele me perguntou se conhecia a cidade, a minha primeira reacção foi "oui, oui, les demoiselles" e a segunda, horas mais tarde, foi "ahhhh, o Papa!"). É com este pano de fundo que conhecemos Guilherme de Baskerville (também ele uma homenagem, desta feita a Sherlock Holmes , desde o nome à lógica utilizada, passando pelos utensílios de última gama) e o seu aprendiz, o noviço Adso (Watson?), ambos franciscanos, chegando a um mosteiro que nunca

Girl, Woman, Other

Tinham-me dito maravilhas sobre este livro. Co-vencedor do Booker Prize de 2019 (juntamente com o The Testaments , que não me vejo a ler), Girl, Woman, Other  é o romance polifónico de Bernardine Evaristo sobre doze mulheres em Inglaterra, atravessando gerações, séculos, origens socioeconómicas (contexto familiar, educação) e étnicas (mas todas elas de cor), cujas vidas se acabam por cruzar, seja por relações familiares, de amizade ou contexto profissional. O livro abre com Amma, dramaturga, a preparar-se para a noite de estreia da sua mais recente peça,  The Last Amazon of Dahomey ,  no National Theater - o dia que, por motivos vários, nunca achou que chegaria - e com os vários factores que fazem com que a popularização de uma peça sobre mulheres de uma tribo africana, da autoria de uma mulher negra, seja tão importante. Amma then spent decades on the fringe, a renegade lobbing hand grenades at the establishment that excluded her until the mainstream began to absorb what was once radi

2021 | Janeiro

Um mês que para muitos significou novo confinamento mas, para mim, uma continuação da realidade desde 11 de Março de 2020. Comprados & Recebidos Este mês deram entrada na estante alguns livros que me aguçam e muito a curiosidade: Apneia , de Tânia Ganho (comprei mais cedo do que esperava por motivos de book club; é um livro que vi muita gente ler na mesma altura, e isso desmotiva-me, regra geral), A lua e as fogueiras , o último livro de Cesare Pavese antes do suicídio, Coração de vidro , de José Mauro de Vasconcelos (quero muito revisitar a sua obra, começando por O meu pé de laranja-lima , que adorava em criança - talvez seja este ano!), a enorme supresa da Cristina: Time's Arrow , de Martin Amis e, também como prenda inesperada, o quarto volume de Sailor Moon . Lidos O mês começou com o término de O Nome da Rosa  (adorei e pretendo regressar a Umberto Eco). Para o #lerosclássicos2021 li, finalmente, o Lazarillo de Tormes , de autor anónimo . Nas novelas gráficas, devorei Fat